Ronco e Apnéia do Sono

 

Segundo estudos estatísticos, cerca de 45% do adultos normais roncam, pelo menos ocasionalmente, e 25% são roncadores habituais. O ronco patológico é mais freqüente nos homens e nas pessoas acima do peso recomendável (sobrepeso). Geralmente, o ronco piora com a idade.   Existem registrados mais de 300 inventos no escritório de Marcas e Patentes dos Estados Unidos como "curas para o ronco".

Alguns são variações da velha idéia da bola de tênis costurada nas costas do pijama para forçar o roncador dormir de lado, pois quase sempre se ronca mais dormindo de costas. Os suportes para a cabeça, os colares para o pescoço e os objetos que se colocam na boca habitualmente não são efetivos como tratamentos do ronco. Tem se inventado muitos aparelhos elétricos que produzem estímulos desagradáveis ou dolorosos quando o paciente ronca. Se presumia que se poderia treinar ou condicionar as pessoas para não roncar. Infelizmente, as pessoas não podem controlar o ronco e, se estes aparelhos chegaram a funcionar, provavelmente seria porque mantém o roncador acordado.

 

Qual é a causa do Ronco ?

 

O ronco ocorre quando o fluxo livre de ar encontra uma obstrução ao passar por detrás da boca e do nariz. Esta é a parte colapsável da via respiratória onde a língua e a parte superior da garganta se encontram com o céu da boca (palato) e a úvula (campainha). Quando estas estruturas vibram durante a respiração, produz-se o ronco.

 

A pessoas que roncam têm pelo menos um dos seguintes problemas:

 

  • Baixo tônus muscular (falta de tensão, relaxamento) nos músculos da boca e garganta. Os músculos flácidos permitem que a língua caia para trás na via respiratória ou que os músculos da garganta se movam para dentro. Isto ocorre quando o controle muscular está muito relaxado por ingestão de bebidas alcoólicas ou por drogas indutoras de sono. Também acontece com algumas pessoas nas fases profundas do sono, quando ocorre um relaxamento grande da musculatura.

  • Excesso de tecidos moles na garganta. Por exemplo, o crescimento anormal de amígdalas e adenóides comumente produz ronco em crianças ( Ver Amígdalas e Adenóides ) . O sobrepeso produz um crescimento excessivo dos tecidos moles do pescoço. Cistos ou tumores também podem produzir estes crescimentos anormais, mas felizmente não são comuns, mas precisam ser investigados.

  • O tamanho excessivo do palato mole e/ou da úvula. Um palato grande pode estreitar a abertura entre o nariz e a garganta. Ao dependurar-se sobre a via respiratória, atua como uma válvula que vibra durante a respiração relaxada e contribui para a formação do ruído do ronco. Uma úvula grande piora mais ainda a obstrução.

  • Obstrução nasal. O nariz congestionado ou bloqueado exige muito esforço para a respiração. Isto cria um "vácuo" exagerado na garganta (diminui a pressão, causando colapso das estruturas), na parte colapsável da via respiratória, e aproxima todos os tecidos moles da garganta, produzindo o ronco principalmente em pessoas que não roncariam se pudessem respirar sem dificuldades. Assim ocorre em pessoas que só roncam em épocas ou situações que predispõem a alergia ou quando tem resfriados ou sinusites. As deformidades do nariz ou do septo nasal ( Ver Desvio de septo nasal  ) também podem causar obstruções.

 

O que é Apnéia do Sono ?

 

A forma mais exagerada do ronco é a apnéia do sono, na qual existem freqüentes episódios de parada respiratória por obstrução. Os episódios sérios duram mais de 10 segundos e ocorrem mais de 7 vezes por hora. Os pacientes com apnéia podem experimentar de 30 a 300 episódios obstrutivos por noite, reduzindo o nível de oxigênio no sangue. O coração tem que bombear mais forte para que o sangue circule mais rápido. Depois de alguns anos isto pode levar a um aumento da pressão arterial e dilatação cardíaca.

O resultado imediato da diminuição do oxigênio, por ativação de um mecanismo reflexo no sistema nervoso, é um sono mais superficial com os músculos suficientemente tensos para manter a via respiratória aberta e assim permitir que entre ar nos pulmões. Este sono superficial não é reparador e freqüentemente leva a sonolência diurna, assim como queda da capacidade de concentração, memória, além do poder causar acidentes no trabalho e ao dirigir automóveis. 

 

É muito grave roncar ?

 

Do ponto de vista Social - SIM. Normalmente o roncador é motivo de ridicularização, além de atrapalhar o sono dos que compartilham o ambiente e até lhes provocar ressentimento.

 

Do ponto de vista Médico - SIM. Perturba os padrões de sono, abreviando-lhe o descanso necessário. Quando o ronco é severo, pode produzir problemas de saúde a longo prazo. Freqüentemente se associa com Hipertensão arterial, impotência, insuficiência cardíaca, perturbações da memória, atenção, concentração, capacidade de trabalho, acidentes, sonolência e distúrbios emocionais.

 

Como o roncador leve ou ocasional pode se ajudar ?

 

  • Adotar um estilo de vida esportivo e realizar exercícios diários para tonificar os músculos e baixar o peso

  • Evitar os tranqüilizantes, as pílulas para dormir e os anti-histamínicos antes de dormir

  • Evitar as bebidas alcoólicas por cerca de 4 horas e as comidas pesadas 3 horas, antes de dormir

  • Evitar dormir tarde ou cansado. Programar melhor suas atividades de trabalho para evitar sobrecarga

  • Dormir de lado em vez de dormir de costas

 

O Ronco severo é tratável ?

 

Os roncadores severos, aqueles que roncam diariamente ou em qualquer posição ou alteram a vida familiar, devem buscar o conselho médico para se assegurar que a apnéia obstrutiva do sono não seja um problema. O otorrinolaringologista é o médico mais indicado pois lhe fará um exame cuidadoso do nariz, da boca, do palato, da garganta e do pescoço. Um estudo em um laboratório de sono (polissonografia) poderá ser necessário para determinar a severidade do ronco e suas conseqüências para a saúde.

 

O tratamento depende do diagnóstico. Um exame em consultório pode revelar se o ronco se deve a uma alergia nasal ou uma infecção, uma deformidade do septo, das amígdalas ou das adenóides. O ronco pode responder melhor à uma cirurgia da garganta e do palato para ajustar os tecidos flácidos e ampliar a via respiratória, chamada  úvulo-palato-faringoplastia (UPFP). Em alguns casos, não é possível realizar a cirurgia ou o risco é muito alto em função de outros problemas. Nestes casos, o paciente pode dormir com uma máscara nasal que introduz pressão de ar na garganta (CPAP).

 

Deve-se examinar a toda criança roncadora cuidadosamente. Pode ser necessário retirar as amígdalas e as adenóides para restaurar a respiração completa. Em crianças, dependendo da idade, o quadro pode ser mais grave podendo levar à parada respiratória noturna e outras seqüelas de crescimento, deformidades faciais, dentárias, musculares, distúrbios de deglutição entre outros ( Ver Amígdalas e Adenóides ). 

Lembre-se que o ronco significa respiração obstruída e a obstrução pode ser grave. 

 

Como eu faço para saber se preciso ser operado ou devo usar um CPAP?

 

Procure um médico Otorrinolaringologista.

 

Para saber sobre convênios atendidos clique aqui .

 

Onde mais a família pode ajudar ?

 

  • Observar o paciente dormindo. Ver se o paciente pára de respirar durante o ronco. Uma interrupção do ronco seguido por uma respiração forte, um engasgo ou um breve despertar assustado é um forte indício de apnéia. Precisa ser investigado. 

  • Não ridicularizar o roncador. Pelo contrário, apoiá-lo e incentivá-lo a buscar orientação médica. Devido ao fato do problema ocorrer na área de atuação do Otorrinolaringologista, este deve ser procurado inicialmente. 

 

Links recomendados:

 

 

 

Precisa de mais alguma informação ?

 

Clique aqui.

Site elaborado pelo Dr. Alexandre Hamam

Rua Vergueiro, 2949 - 15º andar, cj. 151 - São Paulo - SP

Tels.: (11) 5575-3085 e 5575-7646 (das 14:00 horas às 19:30 hs)

Data da última atualização: 21/09/2013

 

*Este site está de acordo com as normas internacionais de Sites de Saúde da Health On the Net Fondation e do CREMESP*